segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Há uma altura na vida para tudo.
Há a altura em que só queremos o colinho da mãe, a altura da chupeta, a de ser mesmo melga, a de ser preguiçoso, a da mania que se é feio, a de gostar de sapatos, a de ter aparelho auditivo, e a de entrar no caixão, entre muuuuuitas outras, claro está.
Eu estou naquela altura das malas. Isto é, o que eu mais reparo são malas, carteiras, pochettes, tudo de isso. Afinal de contas, são um sinal muito feminino e, mais que isso: dizem muito sobre a pessoa.
Talvez seja um bocado fútil, não sei, mas , afinal de contas, o facto de gostar de malas , não quer dizer que as tenha. Por acaso até tenho poucas. E uma amiga (Magali olé olé) deu-me uma mesmo gira no outro dia, na troca de presentes, que adorei. Ainda hoje a usei.
Malas?
Oh, sim.

6 comentários:

Anónimo disse...

Com que entao uma fanatica por malas... cada um tem a sua tara ainda bem que descobriste a tua a tempo do Natal XDXDXD
Ate agora ainda nao descobri a minha, tenho de começar a pensar nisso cuidadosamente... afinal de contas uma girafa nao é propriamente um artigo feminino... convenhamos!! Obrigada plo tópico ;D
Mtos bjs
Girafa

Pedro de Arimateia disse...

há uma altura em que queriamos ter férias... ou que o IST de repente fechasse.

Susana Pereira disse...

"a psicologia das malas" devia ser um aritgo que deverias por no teu portefólio de psicologia. Porque assim como os autocarros, as malas também dizem muita da pessoa :P

Bjinhos,
Susana

Susana Pereira disse...

*artigo ;)

Sujeito Poético disse...

acho que a minha paranóica deve ser...mmm...malas não é decerteza, por isso acho que vou arriscar em Livros do Fernando Pessoa!

LOL!

Cacao disse...

LOL catarina, só de te imaginar de saltos altos e com uma carteira vermelha desato-me a rir! heheh:D