quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Peregrinação

Agora até me sinto constrangida para escrever sobre esta Peregrinação (com maiúscula!) graças à Madalena Fontora que fez a melhor “abertura” de sempre desta caminhada. E também não sei por onde começar…Afinal, passaram-se tantas coisas em tão pouco tempo…! Enfim, de cruz ao lado, com o Espírito Santo a falar ao ouvido, acho que vou conseguir.
“ConTigo chego lá”, diz o livrinho que nos orientou nesses dias de peregrinos. Através do desprendimento, da fé e da nossa Missão propusemo-nos a chegar a Jesus. Acreditem que no início não foi fácil não mandar mensagens nos lugares que (finalmente!) havia rede, ou passar três dias sem phones nos ouvidos. Mas a partir do momento em que começamos a deixar Deus entrar, tudo se tornou mais fácil. Falo por mim e por quem já partilhou comigo essa experiência. E melhor do que deixar Deus entrar, é saber que os que estão à nossa volta também estão a passar pelo mesmo. É tão bom rezar o terço com amigos, pedir intenções com amigos, estar com amigos pela mesma razão, com o mesmo objectivo! A uma certa altura ouvi alguém dizer “Quem me dera que o meu grupo de amigos fosse todo assim!” (peço desculpa à pessoa que disse isto, mas sugiro que estas “privates” sejam ditas mais baixinho …!) e não pude deixar de sorrir. É verdade, torna-se tão mais fácil ser para Ele quando tudo à nossa volta nos é favorável… Tudo era tão mais simples se toda a gente fosse católica como nós, que rezasse como nós, que quisesse a santidade como nós! Mas voltámos ao mundo do dia-a-dia, ao mundo real, e as coisas não são assim. E, pensando bem, fazer apostolado nunca foi tão fácil, nem que seja com o nosso exemplo.
Já fiz outras peregrinações antes desta, mas nunca nenhuma me tinha tocado desta maneira. Talvez por ter sido a mais comprida, mas acho que desta vez estava mais disposta a peregrinar para Deus. Porque, mais que tudo, é preciso QUERER. Foi uma sensação tão preenchedora reflectir sobre os textos e os pontos de reflexão que nos eram propostos com pessoas da minha equipa ou com pessoas que só conheci lá! É tão espectacular conversar sobre Deus e abrir-nos de tal maneira a explicar como é Ele na nossa vida, ou melhor, como somos nós no mundo dEle. Criaram-se amizades tão ricas!
Estava agora a lembrar-me dos concursos de uvas que fizemos na última noite, que comédia! E quem diria que o padre António conseguiria acertar com aquela uva na boca! Essa noite foi qualquer coisa de inacreditável: depois de termos andado não sei quantos quilómetros (até esse dia diria que foram uns 50)e quando já estavamos cansadinhos desatámos a fazer jogos, a dançar e a cantar em plenos pulmões e qual bolha qual quê, o que nós tínhamos nos pés era energia! Diga-se de passagem que depois de um belo banho (sem referir nomes, houve quem conseguisse desprender-se dos banhos! Nós é que não nos conseguimos desprender do cheiro…!) e de uma boa noitinha de sono (quando tínhamos colchões com mais de 0,5 cm debaixo de nós…QUEREMOS MAIS GINÁSIOS!) qualquer um fica com outra força! Claro que os que levavam o Pato Amarelo da Carminho também tinham que arranjar forças nos braços para levá-lo às costas…! (Como é que anda a nossa mascote?)
Disse para mim “durante três dias vivi muito mais perto de Jesus!” e agora corrijo: durante três dias percebi que vivo tão perto de Jesus! E percebi de tal maneira que quis cada vez mais rezar e oferecer-Lhe tudo. Vivi as missa de Sábado à noite e a de Domingo à noite (em Fátima) de tal maneira que só podia desejar ir a outra e tornar a dizer: eu estive com Ele! As leituras que nos falavam a cada um, os cânticos que nos envolviam e as homilias personalizadas … tudo isso me fez aproximar mais dEle e fez-me sentir tão preenchida! Nem sei bem explicar… Isto faz lembrar aquele cântico “Eu sinto que vem do Céu um sopro leve, um vento quente que nos aquece, um sopro Vivo que vem de Deus”.
E por falar em cânticos: claro que não podia de deixar de referir o “QUEM ÉS TU MIÚUUUDA?” que já se tornou no hino “Quem és Tu Senhora/ Que nos fala à alma, com tanta calma/ Quem és tu Senhora/ Que nos vigias, sempre nos guias/ Quem és tu Senhora/ Que nos acompanhas, por estas montanhas/ Quem és tu Senhooora/ Quero ser como tu!” .
Momentos de facto inesquecíveis, cada vez que passávamos por uma velhinha e cantávamos como se não houvesse amanhã. E não só as cantorias, mas também o terço que rezámos todos juntos durante o caminho em que o João Magriço fazia questão (e muito bem) de gritar (vá lá.. BERRAR): “Segundo Mistério (…) As raparigas começam os rapazes respondem!” . Não vou conseguir (nem quero) esquecer a imagem de todos de mãos dadas a entrar no santuário, a fazer a espiral: e é com pele de galinha que digo: É DEUS QUE NOS UNE. Não pude evitar chorar quando fechámos esta espiral. A alegria de chegar, de estarmos todos juntos, de receber abraços tão verdadeiros, da sinceridade ali presente, da nudez da alma, de sentir Jesus connosco é algo indescritível. Obrigada a todos os que rezaram o terço comigo, obrigada a todos os que cantaram comigo, obrigada a todos os que confessaram segredos comigo, aos que nos levaram comida, obrigada aos membros da minha equipa que foram peregrinar, aos que rezaram por nós, obrigada a todos os peregrinos das ejNS, obrigada aos que organizaram, aos que por nós passaram, aos que nos receberam, obrigada ao padre António e ao padre Hugo, obrigada a todos os que nos ajudaram a tornar esta peregrinação mais santa.
Tenho a certeza de que muito peregrinos que estão a ler este texto vão suspirar porque isto não equivale DE TODO ao que foi peregrinar com as equipas. Nem tão pouco descreve fielmente os acontecimentos. E muito menos o que sentiram nestes três dias. A única coisa que consigo passar, agora, é o desejo imenso de querer voltar a peregrinar, o agradecimento de lá ter estado e a vontade de não perder esta resposta a Deus. Agora o mais difícil vai ser continuar a viver a rotina e pôr Deus em cada coisa que fazemos, desde o acordar ao deitar. Por isso, queria pedir que todos deixemos entrar Deus nas nossas próprias casas e que saibamos peregrinar no dia-a-dia sempre na Sua direcção – “por esta intenção e com Maria, oremos ao Senhor”.

9 comentários:

Anónimo disse...

Q experiência boa!

Fico contente que venhas assim tão feliz e ainda mais próxima D'Ele =)
É muito importante passar isso aos outros.

Força! Sê Jesus juntos dos putros ;)

Bjinho gde,

Maria C.A.

Anónimo disse...

* correcção: Sê Jesus junto dos outros ;)

Bjooo,

Mary*

Pedro de Arimateia disse...

indetifico-me com essa Alegria. Com esse Querer viver, e com o Querer Acolhe-lo. E sabendo isso, e ler o teu entusiasmo que trespassa, so posso sorrir :)

Bj

P.s.: E tambem tens que ser Jesus juntos do putos :P

luigi disse...

sendo tu da minha família acho íncrivel só me teres dito isto pelo blog! espantoso! olha acho muito bem que tenhas feito essa peregrinação e que vás ás equipas e coisas dessas, e se possível, convidar-me. olha, aqui deixo meu comment porque tenho q ir...

PS: ganda testamento!

Cacao disse...

e tive q reduzir isto td para caber na Partilha (jornal das EJNS) ...!

Nuno CB disse...

Wow! Cacao, está óptimo o testemunho! Concordo com TUDO o que disseste. É tudo tão verdadeiro e tão simples, tal como na peregrinação!
Mal posso esperar por voltar a ler este e outros testemunhos na próxima partilha =D

Bjnhs!

Cacao disse...

NUNO! que espectáculo, andaste aqui! hoje vais ao jantar da peregrina? tem qe seeeeeer!
Ainda bem que gostaste, ja tiraste peso de cima:)
Beijinhos!

Rita Azevedo Coutinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Azevedo Coutinho disse...

Cacau, sou uma prima da Maria AC (que fez peregrinação contigo), e queria dizer que amei o testemunho mesmo. Ela já me tinha falado da peregrinação e contado que tinha sido espectacular, mas aqui da mesmo para perceber como foi. Acho que tens toda a razão quando dizes
" É verdade, torna-se tão mais fácil ser para Ele quando tudo à nossa volta nos é favorável… Tudo era tão mais simples se toda a gente fosse católica como nós, que rezasse como nós, que quisesse a santidade como nós! " e só me apetece fazer um copy, paste para quem nao O conhece e nao acredita nEle..
Vou começar agora em Dezembro as ejNS e por isso espero um dia vir a fazer uma peregrinação contigo que te marque tanto (ou mais) que esta.
Um grande beijinho