terça-feira, 15 de abril de 2008

Com um V na ponta
Respirar fundo.
Voltei.
Por momentos tive que me afastar, de tudo. Momentos talvez breves, talvez não. Às vezes pareceram longos demais. Não correu como queria, mas...e depois? não foi uma coisa, foram quatro ou cinco. E a sexta? E se tivesse a centésima? Seria mais uma contra a qual teria que lutar. E lutei. Não sozinha, mas mais do que pensava. Ou acompanhada, mais do que pensava. Pergunto-me, espreitando o lado de lá, se tudo foi a quatro ou seis pegadas. Se caminhei tão separada dos pés que pensava que lá estariam. Oiço barulhos, tenho de parar de espreitar. Contento-me com a resposta de que as outras pegadas que faltam, essas foram apagadas pelo mar, mas estiveram lá, e eu não as vi. Desejava que não fossem tão transparentes, gostava de eu mesma agradecer aos pés que não me deixaram sozinha. Senti-me sozinha, tão só como o ponto preto na tela branca. Não fosses tu, ela e Ele, que seria de mim? Desiludo-me a pensar no ridículo dos meus problemas. Coisas pequenas, comparadas com a Vida. Mais pequenas ainda comparadas com a ajuda que posso dar aos outros. Parar de pensar no dedo que me foi cortado e ajudar os outros a porem as luvas nas suas preciosas mãos. Tenho pena ter sido assim, ter pensado demais no que me acontecera. Na escalada, o meu pé escoregou e isso ofuscou-me. Agora vejo que os que iam agarrados a mim, a precisar de mim, em baixo, assustaram-se bem mais que eu. Tenho que me agarrar, levar os outros comigo, ajudá-los a subir. Não que eu saiba, ninguém sabe como é o Topo da montanha. Mas precisamos uns dos outros para subir. Cada vez parece mais lenta, a subida. Cada vez mais ofegante. O ar é mais leve, o Sol mais aquece, embora estejemos rodeados de neve. Por entre os pensamento que me foram invadindo, decidi: vou continuar a subir. Os sticks que tenho nas mãos servem de algo. E a música que enche os ouvidos, essa é a voz de Deus que nos impele a subir. Não sei subir, meu Pai, ajuda-me! Braçada após braçada, pegada atras de pegada, vou subindo, devagar, sem saber bem o que me espera, sem saber os perigos que andam por aí. Quantos desistiram pelo caminho... Quantos escorregaram e não conseguiram continuar. Quantos, assustados pelo pé que escorregou, deixaram os outros para trás. Quantos tinham os ouvidos tapados e não ouviram a brisa que vinha do topo...Respiro fundo. sinto a brisa na cara. Impelida, faço força e consigo repôr o pé na espessa parede da Montanha. Quero ver a vista lá de cima, quero olhar à volta e deliciar-me com o que vejo. Olhar para trás e pensar que já cheguei.
Por isso vou por aí, cravo os sticks na montanha da Vida e vou aprendendo a subir.


[inspirei-me no blog da Francisca ao pôr esta ftg. Acho que simboliza rir face aos problemazinhos do passado - daí estar virada para a esquerda (nao tinha pensado nisto quando me tiraram a ftg) . Au naturel :) ]

7 comentários:

Susana Pereira disse...

Quem me dera ter tempo para escrever sobre o que dizes.. Preciso tanto de largar pensamentos em papel e carvao. Preciso de por esses pensamentos organizados num fio condutor que é o texto. Quero fazê-lo mas a falta de tempo é tanta..vejo os dias a passar, nao tenho tempo para parar, respirar fundo como dizes. Quando esse tempo chegar, prometo que virei aqui e escrevo o que já há algum tempo deveria ter escrito. Prometo que as imagens, os sentimentos, os objectivos..tudo ficará gravado em papel, nem que seja virtual, porque eu preciso disso! Parabéns CACAO por teres conseguido fazer o que quero fazer há muito tempo e ainda nao consegui, talvez nao só pela falta de tempo, talvez por tudo.

Beijinhos!
Susana

Susana Pereira disse...

visual mt giro cacao, faz bem mudar os ares :D

Cacao disse...

Isto até sabe bem, mudar drasticamente! e depois é isto: derreto-me toda com estes comentários fresquinhos , como a brisa del mar:D

Beijinho enorme, susy! merci!

Barbara disse...

Como te disse, há bocadinho, foi um bocado este teu "voltar" que me fez ganhar coragem para começar a escrever qqr coisa outra vez. Bem precisava mas ou adio ou não ha tempo, bem sabes!

E verdade. Parece que os percursos estão a ser cada vez mais custosos. Há sempre os pequenos problemas, que são aqueles que parecem mais intrincados.. Mas há que tentar ultrapassar as coisas menos boas. E sabes que há sempre pessoas com quem podes contar. Mesmo as mais "recentes" :).
Grende Beijinho

Shakadal disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Cacao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
(n)Ana disse...

que bonecaaaaa!
Bem gira a foto... e AMEI o conceito da risada para o passado...!
Eu sabia que alguma coisa andava aí a perturbar o fluir natural da tua vida... ora! Eu sei que não estou assim tão "perto" mas sou muito boa a ler certas coisas! (modéstia à parte...!)
Mas é assim mesmo, minha querida. Não viste as pegadas de quem te levava mas certamente elas estavam lá... e por isso mesmo hoje tens uma lição qualquer que apesar de toda a dor que possa ter havido, conseguiste decerto absorver... e terás agora com toda a certeza mais força para continuar a subir e com mais convicção!

Repito... sei que não sou alguém que está perto... mas já te disse e volto a repetir Cacao... vou observando de longe (mas não numa de stalker, ahn!!! :op!) apenas para me certificar de que vai estando tudo bem...

Cuida de ti, Cacao.

E para terminar... hum espera lá... Que cheiro é este??
hum... já sei... és tu! Sabes.. é que eu sinto o cheiro de pessoas especiais a léguas!! ;o)
BEIJINHOS!

stay positive, stay strong

P.S. - O new look está muito giro! É dos meus templates favoritos. Tive-o durante muito tempo e é a base do meu Chapters :oD
Bom gosto!